NOTÍCIA

Construindo sua liberdade financeira

Um plano de investimentos nunca está completo até que apresente disciplina nas aplicações. Contudo, a ideia de preparar um plano para o futuro parece complexa para muitos. A maioria acha que não consegue poupar porque a renda mal dá para chegar ao final do mês. Desculpas à parte há duas razões para que você procure ter controle sobre suas finanças: a primeira é que a maioria não pode contar com o governo para proporcionar sustento após a aposentadoria; a segunda é que, sem planejamento financeiro, é difícil acumular patrimônio. Assim, quanto mais cedo começamos, mais cedo temos acesso a benefícios. 

O primeiro passo na direção da independência financeira é a análise do orçamento pessoal. A tabela ao final do artigo representa uma ferramenta valiosa para definir seu potencial de poupança mensal. Ela permite fazer um levantamento de gastos e fontes de renda. Reflita sobre cada um dos itens no lado das despesas e das receitas. A diferença entre ambos determina sua capacidade de direcionar recursos para investimento mensalmente. Essa contribuição é o fator sobre o qual o investidor tem mais controle na formação de poupança. A decisão sobre gastar ou guardar esses recursos é sua.

Após preencher a tabela com seus gastos habituais, revisite-a. O potencial de poupança determinado em um primeiro momento não leva em conta nenhuma mudança possível de hábito de consumo. Caso você queira conquistar independência financeira mais cedo, a única alternativa é encontrar áreas em que seja possível reduzir gastos. Monte ao longo de um mês um registro de suas despesas. Assim, você saberá para onde seus recursos estão indo. Em seguida, procure itens em que você acredite ser possível poupar. Entre com esses novos dados na tabela e verifique o incremento em sua poupança potencial,  isto é, a quantia que você é capaz de guardar após rever seus hábitos de consumo. 

Outra forma de disciplinar a formação de poupança é considerar o investimento mensal como prioridade. Assim que receber seu salário, aplique imediatamente seu potencial de poupança, antes que tenha a chance de gastá-lo. Caso haja uma emergência e você precise usar recursos que seriam poupados, não desanime. Basta voltar a contribuir para a o plano de poupança no mês seguinte. 

 
Aquiles Moska

Estrategista de investimentos pessoais e superintendente executivo comercial do Santander Asset Management. 
É autor dos livros “Investimento sob medida” e “Finanças Comportamentais”.

Voltar